quarta-feira, 19 de maio de 2010

HOMENAGEM A AGENOR COSTA

NA BELEZA DO INFINITO

Joaquim Eloy Santos

Lugar de artista é no Céu. Não tenho dúvida disso porque é o artista que ilumina a vida e floreia o sonho. Quando o artista é cantor de talento e caixa, a entrada no Céu é imediata e logo a confraria dos sonhadores idealistas vai crescendo e iluminando o firmamento.

Repórter sonhador, vi em filme do meu pensamento, a chegada do seresteiro Agenor Costa ao Céu. Presente sua irreverência, dialoga com São Pedro e faz questão de entrar em serenata. Abre a voz possante, diante do portão celestial, alertando o Guardião sobre sua chegada. O primeiro Papa, posto em sossego, assusta-se com o vozeirão, entreabre o portão e pede silêncio ao novo hóspede:

- Psiu... Mais baixo, Agenor! Assim você acorda o Céu inteiro! – São Pedro vem cheio de dedos.

- Santidade, se entrar calado, não sou o Agenor Costa! – o sorriso amplo fala pelo seresteiro.

- Acontece, seu Agenor, que o céu já tem artistas demais e todos querem mostrar suas habilidades... – São Pedro preocupado.

- Ora, Eminência Celeste, só entro no céu cantando, se cantei a vida inteira! – insiste o menestrel jovial.

- Certo, seu Agenor, mas desce o tom da voz – São Pedro decide, e pronto! Pronto nada!...

- Descer o quê, Apóstolo Guardião, minha voz é um trovão! – Agenor insiste: Só entro no céu cantando.

- E, senhor cantor, quem disse que o senhor irá entrar no Céu? – é bem claro o Guardião.

- Ué, São Pedro, pois não estou à porta do Céu!? – admira-se o cantor.

- Está, mas quem decide isso sou eu... E a porta do fogaréu é bem aqui ao lado – esclarece o primeiro Papa.

- Ah!, senhor Papa, sei que meu lugar é ai dentro, eu só trouxe felicidade, cantei as alegrias e tristezas e, até, enfeitei a morte de tanta gente com obras artísticas em mármore! – é enfático e claro o currículo do seresteiro.

- Sim, sim, seu lugar é no Céu para cantar e alegrar a monotonia do Paraíso Celeste! – argumenta São Pedro.

- Então, meu amigo, abra a porta que engreno uma seresta! – está disposto Agenor Costa para a nova platéia.

- Está bem, seresteiro e cantor maravilhoso, abra os peitos e entra! – o largo portão abre de par em par.

- Com licença, meu santo e vamos lá! – sorriso e garganta límpida, a seresta penetra no Céu, com vozeirão e tudo.

- Ai, meu Senhor Deus, quem segura o homem!? – diz o Guardião e entra cantando com Agenor.

- “Eu sonhei que tu estavas tão linda / numa festa de raro esplendor... – e lá vão os dois Céu adentro, enquanto todos os astros os seguem em coro celestial, cantando em serenata, a chegada de Agenor Costa na beleza do Infinito de Deus.

Um comentário:

Renato Siqueira disse...

Boa tarde,
Enviei-lhe um email para o endereço joeldusan pois gostaria de uma informação importante.
Obrigado pela atenção.